Arquivo Electrónico / O 25 de Abril para os mais novos

 

25 de Abril
Quase como um Conto de Fadas


   Na aldeia, toda a mocidade abalara para a guerra.
Em navios partiam de Lisboa. O teu pai também por lá andou durante três anos. Desde o primeiro dia a tua mãe e a tua avó bordaram a colcha de renda com o pensamento em África, cada laçada uma lágrima e a colcha ficou cheia de soluços.
   - Então é por isso que a colcha está cheia de altinhos! Esperaste muitas noites avô?
   - Todos os meses no escuro, para me entreter falava com as formigas, as flores, as pedras. Quando havia lua cheia lia livros deitado sobre a terra de barriga para baixo, e brincava com um cágado que andava por ali à roda do sobreiro. O teu avô, punha-lhe uma bolota em cima e contava pontos até que o cágado a deixasse cair. O máximo que ele aguentou foi trinta e sete.
   - Assim, o tempo passava mais depressa e os sustos ficavam mais levezinhos.
   - Grandes homens! Eles bem diziam que um dia não haveríamos de precisar da noite para nos escondermos.
   - Esperámos muito tempo, mas não perdemos a esperança, fizemos empenho em que tudo um dia mudasse.
pag4

Anterior | Índice | Seguinte