Home | Corpos Sociais | Notícias | Índice

Grupo Folclórico | Atletismo | Futsal | Pesca | Escola de Música

   
Grupo Folclórico 

Historial 

Trajos

Cantigas

 

DANÇAS

 

 
HISTORIAL

Cada povo tem a Cidade da sua poesia, da sua imaginação, dos seus amores, cada povo aponta para uma terra que a tradição vestiu de galas. O Povo Português aponta para Coimbra, cidade sagrada, que é a sua maior referência cultural.

Coimbra é uma cidade do centro de Portugal, capital da Beira Litoral, situada nas margens do Rio Mondego, com vestígios de ocupação por várias civilizações de povos bárbaros até ao séc. II a.c. e dos Romanos, de que são exemplos mais importantes as ruínas de Conimbriga e o Criptopórtico da Civitas de Aeminium.

D. Afonso Henriques nela estabeleceu a sua corte, a qual só foi mudada para Lisboa em 1385, fundando a Igreja de Sta. Cruz, que foi o berço da Renascença coimbrã. A sua Universidade, fundada em 1290, a Segunda mais antiga da Europa, manteve ao longo de mais de sete séculos da sua existência uma influência e um renome internacionais, que ainda hoje perduram.

O G.F.C.P.U.C. foi fundado em 1985, como o mais importante elemento da Secção Cultural da Casa do Pessoal da Universidade de Coimbra, dedicando-se à recolha, estudo e divulgação das tradições populares de Coimbra e arrabaldes, apresentando danças, cantares e trajos na sua maioria dos sécs. XVIII e XIX.

 

O Grupo trouxe de novo à cidade tradições da sua memória colectiva que estavam completamente esquecidas ou, no mínimo, esbatidas nessa memória, como "Os Cantares das Janeiras e dos Reis", "A Feira dos Lázaros", "A Apanha da Espiga", "A Romaria do Espírito Santo", "As Fogueira de S. João" e "As Serenatas Futricas". Algumas destas reposições foram feitas após longas décadas de interregno e, até por isso, têm sido alvo de sucessivas coberturas televisivas.

Para além destas manifestações, o Grupo tem levado a cultura de Coimbra e arrabaldes a inúmeros pontos do País e do estrangeiro.

Em 1993 realizou a gravação de uma cassete audio, que integra vários temas populares, sob o título "Coimbra dos Futricas e das Tricanas".

Em 1994 representou a Cidade na "Semana das Cidades Geminadas", em Aix-en-Povence, a convite da Câmara Municipal de Coimbra.

Em 1995 destacaram-se a visita do Grupo Alemão Volkstanzgrouppe Weilersteusslingen e a participação no programa televisivo "Cantares de Amigo" de Paco Bandeira, na TV2.

Em 1996 representou a Cidade de Coimbra no Festival Internacional de Allmendingen, próximo de Stuttgart, na Alemanha, obtendo assinalável êxito entre 17 grupos participantes.

Em 1998 recebeu a visita do Grupo Moravian Folkore Ensemble Morava, de Ostrava/Rep. Checa e realizou a gravação de uma Segunda cassete audio.

Salientam-se as suas participações, uma a convite do INATEL, como representante de Portugal no III Festival Internacional de Zemplén, na Hungria, em 1991 e a outra no LII Festival Internacional de Folclore de Straznice, na Rep. Checa, considerado o mais importante festival da Europa Central, apoiado pelo CIOFF e patrocinado pela UNESCO, em 1997, por em ambos ter sido, entre grupos representantes de uma vasta gama de países, o Grupo laureado.

Já conta com a VI edição anual da "Festa do Trajo, Canto e Danças Populares", com a participação de grupos conceituados de diferentes regiões do País, com crescente sucesso.

É filiado na AFERM (Associação de Folclore e Etnografia da Região do Mondego).

É classificado de interesse folclórico pela Câmara Municipal de Coimbra.

Tem assinado ao longo dos anos sucessivos protocolos com entidades oficiais e organizações privadas da Região, participando com as suas actuações cuidadas e fidedignas para o engrandecimento das respectivas realizações.

Tem norteado a sua actividade por critérios de rigor e selecção cada vez mais apertados e por Planos de Actividade Anual gradualmente mais exigentes e consistentes.

 
TRAJOS

Senhoras da Cidade :

Senhora da Mantilha e Senhora da Capa, trajos respectivamente da primeira e segunda metades do séc. XVIII,

Senhora de Capote e Senhora de Capoteira, trajos do séc. XIX,

Tricanas do Vicente, trajos do início do séc. XX.

Oriundos da burguesia:

Burgueses do séc. XIX,

Burguesa do dealbar do séc. XX.

Trajos característicos de Artes e Ofícios:

Pastor, Carvoeiro, trajo de 1830, Sangrador/Barbeiro, Vendedeira dos Largos da Cidade, vinda dos arrabaldes, Leiteira, Vendedeira de Arrufadas, com xaile de orvalho, Taberneiro, Pintor, Moço de Recados, Servente de Estudante.

Trajos do Campo e do Rio:

Camponesa em Trajo de Festa, Casal de Camponeses em Trajo de Vir ao Mercado, Lavadeira, Barqueiro.

Como figuras típicas de Coimbra:

os Futricas, eternos rivais dos estudantes na luta pela posse do coração das donzelas da Cidade, nos seus trajos sóbrios, mas elegantes, aparentemente iguais, mas cada um deles com um toque de cunho pessoal.

Como ex-libris da Cultura Popular as Tricanas de Coimbra:

Tricana do Mantéu, trajo de finais do séc. XVIII,

Tricana da Cidade, com xaile de caxemira Paysley,

Tricana Vinda do Mercado,

Tricana Emblemática,

Tricana Aguadeira, com talha e xaile chinês,

Tricana Aguadeira, com cântaro de lata,

Tricana Aguadeira, com asado e xaile de risca de seda,

Tricana das Fogueiras,

Tricana de Coimbra de finais do séc. XIX,

Tricana de Coimbra de princípios do séc. XX.

Como pares emblemáticos da nossa cidade :

a Tricana e o Futrica e ainda outro par Tricana e Futrica.

 

 

 

 

CANTIGAS

Cânticos Religiosos e Cantares das Janeiras e dos Reis:

Adeste Fidelis; Canticorum; Infante Suavíssimo; Magnificat; Ao Menino de Deus; À Virgem; Os Reis (de Coimbra); Os Reis (da Lousã).

Cantigas das Serenatas Futricas:

Balada de Coimbra; A Barquinha; O Beijo; Cruz de Cristo (Fado); Despedida de Coimbra (Barcarola recolhida em Coimbra em 1892); Fado (do Rancho Alegre Mocidade); Fado "Ó Águia"; Fado da Rainha Santa; Flores de Coimbra; Noite de Primavera (recolhida em Coimbra em 1892).

Cantigas de Rua:

A Manhã Vai Rindo (que remonta a 1892); A Raptada; As Freiras de Santa Clara; Jovens Sereias; O Moleirinho (cantiga popular do séc. XVIII); Ó Adro; Ó Querida, Eu Gosto de Ti; Quitólis; Romance do Cego.

 

 

 

DANÇAS

Danças das Fogueiras:

Abracinho; Ai Grabiel; Arregaça Pum Pum; Balancé; Cantai, Dançai Raparigas; Carinhosa; As Carvoeiras; Cavaco do Rio; Dá Cá Um Beijo; Maneio; O Manel Ceguinho; Padeirinha; Toutinegra; O Trevo.

Danças de Rua e de Salão Popularizadas:

Camélias; Chegadinho; Com a Pena (recolhida em Coimbra em 1886); Esta Calçadinha; Estalado; Farrapeira; Folgadinho; Manuel, Tão Lindas Moças; Ó Ladrão; Ao Toque da Música; Vá Laranja ao Ar (recolhida em Coimbra em 1880); Vira de Coimbra; Vira de Quatro.

 

 

 

Para mais informações, contactar:

Casa do Pessoal da U.C.
Palácio dos Grilos - Rua Dr. Guilherme Moreira - 3000 COIMBRA
Tel.: ++351 239 823958
Fax: ++351 239 820513
e-mail: cpessoal@ci.uc.pt

Home | Corpos Sociais | Notícias | Índice

Webdesigner: ci.sasuc@mail.telepac.pt   |  Última modificação: 23/03/04  |  Copyright © 2003 Casa do Pessoal da U.C.