The stylistically Paleolithic petroglyphs of the Côa valley (Portugal) are of Paleolithic age

A refutation of their <<direct dating>> to recent times

João Zilhão

0. Resumo do texto em português

1. Introduction

2. Scope, results and publication of EDP's <<direct dating project>>

3. Phillips's 36Cl dating

4. Dorn's AMS dating of organic matter encapsulated in weathering rinds

5. Watchman's AMS dating of organic matter encapsulated in mineral accretions

5.1. Theory and assumptions

5.2. Watchman's <<post-hoc accommodative argument>>

5.3. Implications that Watchman refuses to face

6. Watchman's OSL dating of river gravels

7. Bednarik's microerosion dating

8. Bednarik's arguments on context
8.1. Frost-weathering

8.2. River erosion

8.3. Absence of cold adapted species

8.4. Survival of aurochs, deer and horse in the <<bleak tundra>> of the Côa region

8.5. Ibex as a chronological marker

8.6. Use of metal tools

8.7. Absence of archaeological context

9. Bednarik's arguments on style

10. Validity of dating by style in Southwestern Europe

11. Conclusion

References

Figures

Ficha técnica



Resumo em português

A <<DATAÇÃO directa>> das gravuras do vale do Côa por quatro especialistas em métodos cronométricos fundamentou a rejeição, pela empresa construtora da barragem que ameaça destruí-las por submersão, da cronologia paleolítica unanimemente atribuída a essas gravuras por arqueólogos de todo o mundo. Os resultados obtidos por esses especialistas são no entanto contraditórios, e apenas servem para pôr a nu as fragilidades teóricas e práticas dos métodos utilizados. A determinação, através da medição do respectivo teor em 36Cl, do tempo de exposição à radiação cósmica das superfícies gravadas, é um método que está ainda em fase experimental de desenvolvimento, pelo que, quaisquer que venham a ser os resultados obtidos (o especialista em causa, F. Philips, ainda não apresentou relatório final), eles nunca poderão ser considerados como estimativas fiáveis da idade máxima das gravuras. A aplicação do radiocarbono à determinação da idade das crostas minerais ou das películas superficiais de alteração das rochas gravadas, por forma a obter, em função da relação estratigráfica das gravuras com essas formações, estimativas das respectivas idades mínima e máxima, não leva em conta que se trata, do ponto de vista da química do carbono, de sistemas abertos e não de sistemas fechados, pelo que os rácios 12C/14C das amostras analisadas não têm qualquer valor cronológico. Os resultados obtidos pelos dois especialistas que usaram o radiocarbono estão além disso em contradição total e absoluta, uma vez que, para A. Watchman, as gravuras seriam todas posteriores a 250 A.D., enquanto que, para R. Dorn, elas seriam todas anteriores a 19 A.D. O quarto especialista, R. G. Bednarik, recorreu à análise da micro-erosão dos sulcos gravados embora, como ele próprio admitiu, o método não possa ser aplicado nos xistos do Côa, tanto por causa da sua estrutura e composição mineralógica das rochas como por causa da inexistência de uma curva de calibração local. A sua opinião sobre a cronologia recente das gravuras baseia-se apenas em critérios estilísticos e contextuais totalmente infundados. A correcta aplicação de critérios deste tipo mostra que não é possível que as gravuras estilisticamente paleolíticas do Côa datem de época posterior a 10.000 BP, isto é, ao final do Paleolítico Superior. A validade destes critérios está confirmada, para a arte paleolítica de França e da Península Ibérica, pelos resultados da datação directa, pelo radiocarbono, de mais de duas dezenas de pinturas em gruta. Não há por isso qualquer razão válida para pôr em causa a cronologia estilística da arte paleolítica do vale do Côa.

PALAVRAS-CHAVE: Arte paleolítica - Vale do Côa - Datação de petróglifos


Ficha Técnica

Autor: João Zilhão

Título: The stylistically Paleolithic petroglyphs of the Côa valley (Portugal) are of Paleolithic age - A refutation of their <<direct dating>> to recent times.

Site: As gravuras paleolíticas do vale do Côa

Endereço: http//www.uc.pt/fozcoa/turim.html

Data de edição: Maio 199

Local de edição: Coimbra

Processamento html e grafismo:António J. M. Silva

Início da página/Página principal/Bibliografia


Esta página foi realizada para o Nestcape Navigator 2.0
Última actualização no dia 1 de Junho 96
siljan@gemini.ci.uc.pt