Prof. Doutor JORGE DE ALARCÃO

JORGE NOGUEIRA LOBO DE ALARCÃO E SILVA nasceu em Coimbra a 3 de Novembro de 1934. Nesta cidade fez todos os seus estudos, concluindo em 1958 a licenciatura em Ciências Históricas e Filosóficas com distinção.

Como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, frequentou o Instituto de Arqueologia da Universidade de Londres nos anos lectivos de 1960-61 e 1961-62, e aí obteve o Academic Postgraduate Diploma in European Archaeology e o Diploma in Archaeological Conservation. Foi-lhe concedido o prémio Gordon Childe, anualmente atribuído ao melhor aluno do Instituto.

Nomeado assistente da Faculdade de Letras de Coimbra em 1963, veio a doutorar-se pela mesma Faculdade em 1974, no ramo de Pré-História e Arqueologia, com uma tese subordinada ao título Cerâmica Comum Local e Regional de Conimbriga. Em 1978 foi nomeado professor extraordinário e em 1980, professor catedrático.

É doutor honoris causa pelas Universidades de Bordéus (1985) e de Santiago de Compostela (1996).
Recebeu o prémio Raoul Duseigneur da Académie des Inscriptions et Belles Lettres (Paris) pela obra Les villas romaines de São Cucufate, Portugal (de colab. com R. Etienne e F. Mayet).

A sua actividade docente tem-se exercido em diversos ramos da Arqueologia Clássica, História Antiga, Pré-História e Proto-História. Como investigador, o seu campo tem sido a arqueologia romana em Portugal e, mais recentemente, a teoria da Arqueologia.

Dirigiu escavações em Conimbriga e na villa romana de S. Cucufate (Vidigueira), de colaboração com o Prof. Robert Etienne e com Françoise Mayet.

Às funções docentes tem associado funções administrativas e políticas: assim, entre 1967 e 1974 dirigiu o Museu Machado de Castro (Coimbra); em 1974-75 e 1975-76, em 1981-82 e 1982-83, e ainda em 1986 presidiu ao Conselho Directivo da Faculdade de Letras de Coimbra; em 1980-82 foi vereador da Câmara Municipal de Coimbra, tendo-lhe sido confiado o pelouro da Cultura; entre 1983 e 1985 foi membro da Assembleia Municipal de Coimbra; de 1985 a 1992 foi presidente da Comissão Directiva do Teatro Académico de Gil Vicente; exerceu de 1994 a 1998 as funções de Presidente do Conselho Científico da Faculdade de Letras de Coimbra.

Dirigiu, desde 1967 a 2000, o Instituto de Arqueologia da Faculdade de Letras de Coimbra.

É sócio de diversas instituições, designadamente do Instituto Arqueológico Alemão, da Hispanic Society of America, da Society for the Promotion of Roman Studies (Londres), do Instituto de Coimbra, da Sociedade Portuguesa de Antropologia e Etnologia, da Associação dos Arqueólogos Portugueses, da Associação Portuguesa de Estudos Clássicos, da Associação Profissional dos Arqueólogos. É sócio correspondente da Academia das Ciências de Lisboa.

Em 1981 foi agraciado com o oficialato da Ordre des Palmes Académiques.

Prémio Gulbenkian de Arqueologia (1999-2000) pela obra Conimbriga: o chão escutado.

Prémio "Génio Protector da Colónia Augusta Emérita" atribuído em 2003 pela Fundación de Estudios Romanos pelo conjunto das investigações sobre a província da Lusitânia.

Aposentado em Maio de 2002.

É autor de diversas obras e artigos, num total de mais de 190 títulos. Uma das principais obras, Roman Portugal, foi editado em Inglaterra (Warminster, 1988). Duas outras, Portugal Romano e O domínio romano em Portugal vão, respectivamente na 4ª e 3ª edições.




Início História Funcionamento Organização Ensino Investigação Publicações Divulgação Arquivo