Os Satélites de Marte: Fobos e Deimos

Fobos e Deimos são os únicos satélites conhecidos de Marte.

Os seus nomes (“medo” e “pânico”) recordam-nos a mitologia grega: Fobos e Deimos eram os filhos de Ares (Marte) e Afrodite (Vénus) e conduziam o carro do Senhor da Guerra.

Fobos e Deimos foram ambos descobertos durante a oposição de 1877 pelo astrónomo americano Asaph Hall, apesar de já Herschel ter tentado, um século antes, encontrar satélites em órbita de Marte. A sua observação continua a ser difícil – inacessível à maioria dos instrumentos amadores –, por serem muito pequenos: nas suas maiores dimensões têm, respectivamente, 27 e 15 km.

Fobos é, em todo o Sistema Solar, o satélite que orbita mais próximo do planeta-mãe: menos de 6000 km acima da superfície marciana. Encontra-se, por isso, abaixo da órbita síncrona para Marte. Por esse motivo, a sua órbita vai descendo a um ritmo de 1.8 m por século. Assim, dentro de 50 Ma pode ocorrer uma de duas coisas: ou Fobos se despenha sobre Marte ou, o que é mais provável, antes que isso aconteça as forças gravitacionais destruirão o satélite criando um anel à volta de Marte.

Figura 1 – Fobos, visto a partir da cratera Stickney. NASA.

A característica mais distintiva de Fobos (Figura 1) é a cratera Stickney (baptizada por Hall com o apelido de solteira da mulher) com cerca de 10 km de diâmetro - num objecto que, recorde-se, tem de maior dimensão 27 km. Isto equivaleria a ter, na Terra, uma cratera com cerca de 3500 km de diâmetro, ou seja, abrangendo toda a Europa. O impacto que provocou esta cratera deve ter causado grande destruição em Fobos, que seria inicialmente muito maior. As estrias que irradiam da cratera são provavelmente vestígios dessa destruição.

Deimos (Figura 2) é o mais pequeno satélite conhecido do Sistema Solar. A sua baixa densidade (1.8) é da mesma ordem que a de Fobos (1.9), o que indica deverem ter composições semelhantes - provavelmente uma mistura de silicatos e gelo, análoga à dos asteróides de tipo C.

Figura 2 – Deimos. NASA.

Um argumento a favor desta composição foi obtido pela sonda soviética Fobos 2 (Figura 3) que observou a libertação de uma fina pluma de vapor da superfície de Fobos.

Figura 3 – Sonda Fobos 2.

Por todas estas razões, é provável que Fobos e Deimos sejam ambos corpos que se desviaram da cintura de asteróides, tendo sido capturados pelo campo gravitacional de Marte.

 

Fobos

Deimos

Dados Astronómicos

Orbita

Marte

Marte

Distância média a Marte (km)

9378

23459

Excentricidade orbital

0.0151

0.0005

Período sideral (dias)

0.31891

1.26244

Inclinação orbital

1.08º

1.79º

Período de rotação (dias)

0.31891

1.26244

Magnitude visual máxima

11.3

12.4

Dados Físicos

Raios (km)

13.4x11.2x9.2

7.5x6.1x5.2

Massa (kg)

10.6 X 1015

2.4 X 1015

Densidade média (g/cm3)

1.900

1.750

Albedo normal

0.07

0.08

Dados Históricos

Descobridor

A. Hall

A. Hall

Data

1877

1877

Missões espaciais

Phobos 2

Phobos 2