Destaques

 
Revista
O Marquês de Pombal e o seu tempo - vol. 4 [2 tomos]

 

Tomo I

 

ÍNDICE

NOTA INTRODUTÓRIA, Acerca do significado do Pombalismo (Luís Reis Torgal), p. 7.

LUDWIG SCHEIDL, Breves apontamentos sobre as reformas públicas na Áustria no período da missão diplomática de Sebastião José de Carvalho e Melo em Viena (1744-1749), p. 19.

MARIA ALCINA AFONSO DOS SANTOS, A vida pública de Sebastião José de Carvalho em Viena de Áustria (1744-1749), p. 29.

ARMANDO DE CASTRO, A política económica do Marquês de Pombal e a sociedade portuguesa do século XVIII, p. 41.

ANTÓNIO RESENDE DE OLIVEIRA, Poder e sociedade. A lesgislação pombalina e a antiga sociedade portuguesa, p. 51.

RÓMULO DE CARVALHO, O recurso a pessoal estrangeiro no tempo de Pombal , p. 91.

MARIA HELENA CARVALHO DOS SANTOS, Ribeiro Sanches e a questão dos judeus, p. 117.

JOSÉ GENTIL DA SILVA, A situação feminina em Portugal na segunda metade do século XVIII, p. 143.

CÂNDIDO DOS SANTOS, António Pereira de Figueiredo, Pombal e a Aufklärung, p. 167.

MANUEL AUGUSTO RODRIGUES, Pombal e D. Miguel da Anunciação, Bispo de Coimbra, p. 207.

CLAUDE-HENRI FRÈCHES, Pombal et la Compagnie de Jésus. La campagne de pamphlets, p. 299.

EDUARDO BRAZÃO, Pombal e os Jesuítas, p. 329.

ISAÍAS DA ROSA PEREIRA, O Auto-da-Fé de 1761, p. 367.

MARIA BEATRIZ NIZZA DA SILVA, A educação de um Príncipe no período pombalino, p. 377.

JOSÉ BARRETO, O "Discurso Político" falsamente atribuído ao Marquês de Pombal, p. 385.

 

Tomo II

ÍNDICE

JACQUES MARCADÉ, Pombal et l'enseignement: quelques notes sur la réforme des "Estudos Menores", p. 7.

J. FERREIRA GOMES, O Marquês de Pombal, criador do ensino primário oficial, p. 25.
Duas listas de Professores: uma do governo do Marquês de Pombal e outra de D. Maria I, p. 43.

PEDRO CALMON, A reforma da Universidade e os dois brasileiros que a planejaram, p. 93.

ANTÓNIO CRUZ, A reforma pombalina e as ciências auxiliares da História, p. 101.

LUÍS A. DE OLIVEIRA RAMOS, Pombal e a reforma dos estudos monásticos. O caso beneditino, p. 113.

AMÉRICO DA COSTA RAMALHO, Um programa de exame de Grego da reforma pombalina, p. 125.

JOSÉ ANTUNES, A propósito de um documento da Imprensa da Universidade. Algumas notas sobre o sentido ideológico da reforma pombalina, p. 143.

OFÉLIA PAIVA MONTEIRO, Sobre uma versão desconhecida de "O Reino da Estupidez", p. 199.

ISABEL NOBRE VARGUES, A "Ode a Fileno" e a reforma da Universidade de 1772, p. 255.

JOSÉ AUGUSTO FRANÇA, Nota sobre o Marquês de Pombal e a sua cidade, p. 285.

ANTÓNIO COIMBRA MARTINS, Pombal e Molière, p. 291.

MARIA LEONOR BUESCU, Longino e Custódio José de Oliveira: um apontamento sobre a Retórica setecentista, p. 321.

FRANCISCO FARIA, A música no tempo de Pombal, p. 331.

MARIE HÉLÈN PIWNIK, Image de la culture pombaline dans L'Espagne des Lumières, p. 343.

RUI BEBIANO, O 1º Centenário Pombalino (1882). Contributo para a sua compreensão histórica, p. 381.

ANDRÉE ROCHA, Vicissitudes de uma glória, p. 429.

MIGUEL BAPTISTA PEREIRA, Iluminismo e secularização, p. 439.

NOTA INTRODUTÓRIA, p. 501.

[topo]
 

Última alteração: Fevereiro de 2006
Coordenação: IHTI | Revisão: Maria do Rosário Azenha | Actualização: Manuel Vizeu | Fotos: Leonardo Opitz and Sérgio Azenha

 
Design Ectep,Lda - IE6 - Firefox1.04